Voto impresso: o que é e por que é mais democrático?

Muitos estão questionando o voto impresso, sendo contra sem nem saber do que se trata, só porque Bolsonaro passou a defender.


Primeiro, ele existe desde 2002 e é invenção de empresa dos EUA. Não é novo e nem criação de bolsonaro.


Segundo, o voto auditável, impresso e com contagem pública não é voto em cédula de papel, com urna de papelão. É no mesmo sistema atual, eletrônico, com mais um dispositivo de segurança e com apuração aberta, não em uma sala escondida.


Como demonstra e explicaSecurity Analysis of the Diebold AccuVote-TS Voting Machine:

o comprovante de votação verificado pelo eleitor (VVPAT, na sigla em inglês) é um método de fornecer um retorno aos eleitores usando um sistema de votação sem cédulas. O objetivo de um VVPAT é ser um sistema de verificação independente para as urnas eletrônicas, projetado para permitir que os eleitores verifiquem que seu voto foi lançado corretamente, para detectar uma possível fraude eleitoral ou mau funcionamento, e para fornecer um meio de auditar os resultados armazenados eletronicamente. O comprovante contém o nome do candidato (para quem foi dado o voto) e o símbolo ou número do partido/candidato. Por ser um meio de gravação em papel em vez de ser eletrônico, o VVPAT oferece algumas diferenças fundamentais para o armazenamento de votos. Um comprovante de papel é legível pelo olho humano e os eleitores podem interpretar diretamente o seu voto. A memória do computador requer um dispositivo e um software que é, potencialmente, proprietário. Registros de urnas eletrônicas inseguras[1] poderiam, potencialmente, ser alterados rapidamente sem que isso fosse detectado pela própria urna. Seria mais difícil que as urnas corrompessem os registros sem a intervenção humana. Urnas danificadas ou corrompidas poderiam armazenar votos forma diferente da prevista pelo eleitor sem que ele o percebesse. Um VVPAT permite que os eleitores verifiquem que os seus votos são registrados corretamente e pode servir como uma barreira adicional contra a alteração ou a destruição de votos. O VVPAT inclui um coletor eletrônico de voto(DRE, na sigla em inglês), para garantir que os eleitores que seus votos foram contabilizados deveriam. Ele é pensado para ser, e alguns argumentam que seja necessário, como um meio de detectar fraude e mau funcionamento dos equipamentos. Dependendo da legislação eleitoral os comprovantes em papel podem constituir uma cédula eleitoral e, portanto, fornecer um meio pelo qual uma contagem manual de votos pode ser realizada se uma recontagem for necessária.

O custo-benefício é baixo - em rigor a solidez da democracia não tem preço, transparece e tranquiliza o pleito. Essa resistência ao voto auditável é a maior prova que não se pode confiar no modal atual, suscetível a invasão hacker - o TSE já foi invadido.

Você é a favor da democracia, publicidade, transparência e segurança, mas é contra o voto auditável? Fundamente a sua resposta (se conseguir).


Quem teme voto democrático auditável é contra a democracia ou está mal informado ou, no limite, mal intencionado. Há também os cegos de ódio por Bolsonaro e os cegos ideológicos, impregnados de preconceitos - inconsciente ou cientes - ditatorial e totalitário da esquerda social-comunista ou da direita nazifascista!


Voto auditável, imprenso e com contagem pública é ápice da democracia, da repartição dos poderes e da segurança que devem fundamentar um estado de direito e uma sociedade livre, justa e igualitária.

76 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Floresta plantada: bom para a Bahia e para o planeta

No dia da árvore não podemos esquecer dela, mãe da sustentabilidade, muitas vezes injustiçada: a floresta plantada. Trata-se de reflorestamento através do plantio, produção, manejo e colheita de cultu

Desobediência civil: Bolsonaro tem direito?

No Brasil "ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação", já disse o poeta. Mas aqui, a depender da ideologia, dos interesses ou do cargo, o desrespeito a Constituição é ace

STF impune? Poder que mais pode, mas que nem tudo pode!

Quem acha que estamos em uma democracia plena e com liberdades fundamentais garantidas, não sabe o que é democracia e nem liberdade. Como já vinhamos criticando e relatando, em livros, palestras e art